MENU

Where the world comes to study the Bible

4. A Sabedoria De Deus

Introdução

Recentemente várias pessoas da nossa igreja participaram da Conferência em Dallas “Ligonier’s 1994”.

Entre os preletores estavam Charles Colson e R. C. Sproul. Meu palestrante favorito foi meu antigo professor do seminário, Dr. Bruce Waltke, que falou sobre: “O que Deus Requer” de Miquéias 6:8. Após uma exposição muito boa, Dr. Waltke deu oportunidade para perguntas. Uma pergunta dizia respeito às palavras particulares usadas no texto original de Miquéias 6:8. Quando ele ouviu a pergunta, Dr. Waltke inclinou sua cabeça para trás, fechou os olhos, e preparou a resposta.

Sentado ao meu lado estava o meu amigo e colega de ministério, Mark Sellers, que estava ouvindo o Dr. Waltke pela primeira vez. Impressionado, especialmente pela forma que o Dr. Waltke se preparou para responder a pergunta, Mark disse, “Quando ele fechou seus olhos, ele estava mentalmente lendo o texto, não é mesmo?” “Sim,” eu respondi, “com um acréscimo significativo... ele estava rebuscando o texto Hebraico em sua visão mental.” Estou convencido de que é exatamente isto que aconteceu.

Dr. Waltke é um dos meus expositores favorito da Bíblia, e a primeira coisa que sempre me impressiona é seu grande amor pelo Senhor. A segunda é o seu amor e compromisso com o texto das Escrituras. Eis aqui um homem cujo conhecimento do Velho Testamento é impressionante.

É um prazer observar sabedoria e conhecimento num homem. Quanto mais então achar em Deus sabedoria e conhecimento insuperável e infinito. A beleza do caráter de Deus é que cada um dos Seus atributos complementa os outros atributos. Nós já consideramos o infinito poder de Deus – Sua onipotência – a qual Lhe possibilita fazer qualquer coisa que Ele escolher.

Em seguida estudamos a bondade de Deus, a qual motiva cada ação de Deus em direção daqueles que acreditam, assim como Sua graça comum para os descrentes e crentes igualmente. Agora nos voltamos para Sua infinita sabedoria. Quando consideramos estes atributos juntos – bondade de Deus, sabedoria e poder – encontramos grande conforto e encorajamento.

Se existe algo que a Bíblia nos ensina sobre Deus, é que Ele é totalmente sábio.

13 - Com ele está a sabedoria e a força; conselho e entendimento têm. (Jó 12:13)

28 - Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. (Isaías 40:28)

33 - Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!

Deus é totalmente sábio, infinitamente sábio:

5 - Eis que Deus é mui grande, contudo a ninguém despreza; grande é em força e sabedoria. (Jó 36:5)

5 - Grande é o nosso Senhor, e de grande poder; o seu entendimento é infinito. (Salmos 147:5)

A sabedoria de Deus é totalmente superior à sabedoria humana.

8 - Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR. 9 - Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. (Isaías 55:8;veja também Jó 28:12-28; Jeremias 51:15-17).

Só Deus é sábio:

25 - Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto, 26 - Mas que se manifestou agora, e se notificou pelas Escrituras dos profetas, segundo o mandamento do Deus eterno, a todas as nações para obediência da fé; 27 - Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém. (Romanos 16:25-27; veja também 1 Timóteo 1:17; Judas 1:25).

Deus é a fonte de sabedoria:

6 - Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. (Provérbios 2:6)

20 - Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força; (Daniel 2:20)

5 - E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e não o lança em rosto, e ser-lhe-á dada. (Tiago 1:5)

O que é Sabedoria?

Deve-se somar o significado do termo “sabedoria” com as palavras “saber como”. Sabedoria está baseado no conhecimento. Frequentemente, de fato, sabedoria e conhecimento são mencionados juntos (veja Jeremias 10:12; 51:15; Lucas 1:17; Romanos 11:33; Coríntios 1:24; 2:5; Colossenses 2:3; Eclesiastes 5:12; 7:12).

Sabedoria não pode existir sem um conhecimento de todos os fatos pertinentes a algum propósito ou plano. Por exemplo, construir uma Disneylandia na Europa parece ter sido um desastre. Se esta aventura falha como parece certo acontecer, é porque foi planejado e construído sem o conhecimento de algum dado muito crucial. Alguns erros de cálculo muito sérios aconteceram os quais provaram fatais para esta aventura. O Deus que é totalmente sábio é também o Deus que é totalmente conhecedor.

Deus sabe todas as coisas. Os teólogos usam o termo “onisciente” quando se referem ao conhecimento infinito de Deus. Deus sabe todas as coisas sobre todas as coisas. Ele sabe o que os homens estão pensando (veja Ezequiel 11:5; Lucas 5:21-22). Ele sabe todas as coisas que vão acontecer. Ele sabe tudo que poderia acontecer debaixo de qualquer conjunto de circunstâncias (veja, por exemplo, 1 Samuel 23:10-12; 2 Reis 8:10). Deus não pode criar um plano ruim ou falhar em trazer os Seus propósitos e promessas às suas conclusões porque Ele sabe todas as coisas. Sua onisciência sustenta a Sua sabedoria.

Sabedoria não é somente conhecimento, porém “saber como”. A sabedoria de Deus Lhe possibilita “saber como” fazer qualquer coisa (veja 2 Pedro 2:9). Sabedoria implica a habilidade em formular um plano para realizá-lo na melhor e mais efetiva maneira. Bezalel foi um artesão, um homem com uma incrível “sabedoria” na arte de fazer os móveis para o Tabernáculo (veja Êxodo 31:1-5). A Josué foi dada sabedoria para saber como liderar a nação de Israel (Deuteronômio 34:9). Salomão pediu e recebeu a sabedoria e conhecimento necessário para dirigir Israel (2 Crônicas 1:7-12).

A. W. Tozer e J.I. Packer definiram assim a sabedoria:

“Nas Sagradas Escrituras sabedoria, quando usada por Deus e homens bons, sempre leva uma forte conotação moral. É concebida como sendo pura, amorosa e boa... Sabedoria, entre outras coisas, é a habilidade de criar finais perfeitos e alcançar aqueles finais pelos meios mais perfeitos. Ela vê o final pelo começo, assim não precisa adivinhar ou conjeturar. Sabedoria vê cada coisa em foco, cada um em relação ao todo, e é então capaz de trabalhar em direção a objetivos predestinados com precisão perfeita.”1

“Sabedoria é o poder para ver, e a inclinação para escolher, o melhor e mais alto objetivo, junto com a forma mais certa para alcançá-lo. Sabedoria é, de fato, a prática ao lado da bondade moral. Como tal, é achada em sua inteireza somente em Deus. Ele sozinho é naturalmente e inteiramente e invariavelmente sábio.”2

A Sabedoria de Deus na Bíblia

Quando chega à sabedoria de Deus, uma figura vale mais do que mil palavras. Quando vemos algumas passagens das Escrituras que falam da sabedoria de Deus, iremos tentar aguçar a definição da sabedoria de Deus e mostrar sua relevância para nossas vidas diárias.

Sabedoria na Queda do Homem: Gênesis 2 e 3; Provérbios 3

Devo confessar que nunca considerei a causa da queda em Gênesis à luz da sabedoria de Deus. Contudo, está claro que o desejo de Eva pela sabedoria contribuiu para sua queda:

1 - ORA, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? 2 - E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, 3 - Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. 4 - Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. 5 - Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. 6 - E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. (Gênesis 3:1-6).

O versículo 6 informa ao leitor como Eva chegou a perceber a árvore do conhecimento do bem e do mal. Ela percebeu como boa, boa para comer. Ela chegou a vê-la como encantadora para olhar e desejável porque ela agora acreditava que o fruto desta árvore iria torná-la sábia.

Sejamos muito claros: a forma como Eva percebeu o fruto proibido daquela árvore não foi realidade. Eva agora viu o fruto daquela árvore como Satanás queria que ela percebesse. Ela viu a árvore como desejável porque ela foi enganada:

13 - Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. 14 - E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. 15 - Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação. (I Timóteo 2:13-15)

O fruto da árvores não era boa para comida, porque Deus tinha proibido Eva e seu esposo de comê-lo. Nem era o fruto daquela árvore apta para fazer alguém sábio. A árvore era capaz de fazer o que o seu nome indicava. Ela não se chamava a “árvore da sabedoria”, porém a “árvore do conhecimento do bem e do mal.” Comendo o fruto da árvore possibilitou Adão e Eva “conhecer o bem e o mal”.

Sabedoria não é “conhecer o bem e o mal”. Sabedoria é saber diferenciar o bem do mal. Comer do fruto da árvore proibida fez Adão e Eva conhecer o mal. Eles conheceram o mal por experiência.3 O pior disto é que Adão e Eva chegaram a uma nova consciência de “bem e mal”, porém observe o que aconteceu no processo. O que era mal tornou “bem” aos seus olhos. Comer do fruto daquela árvore foi proibido por Deus. Comer daquele fruto foi fazer o que era mal. Assim, com uma pequena sugestão e trapaça de Satanás, Eva veio a ver este “mal” (pela definição de Deus) como “bem” (em sua percepção, como sugerida por Satanás).

Após comerem o fruto proibido, o qual era “bem” ele veio a ser visto como mal. Quando Deus fez Adão e sua esposa, eles (como todo o restante da criação de Deus ) eram bem aos Seus olhos. Eles foram criados nus, e eles não se envergonhavam. Sua nudez era bem em seu estado de inocência. Porém quando eles pecaram ao comerem o fruto da árvore, eles se envergonharam da sua nudez e tentaram se cobrir. Sua nudez não era mais “bem”, mas “mal”

E a comunhão que eles gozavam com Deus era certamente muito boa. Porém quando eles Lhe desobedeceram, eles tentaram se esconder da Sua presença ao invés de gozá-la. Por quê? Por que este “bem” (o gozar a presence de Deus) era agora “mal”. Eles conheciam o bem e o mal, porém os significados agora mudaram. Satanás não é culpado de fazer o que Deus proibiu?

20 - Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! (Isaías 5:20)

Satanás assegurou a Eva que ao comer o fruto da árvore proibida eles seria “como Deus, conhecendo o bem e o mal” (verso 5) O pecado de Satanás foi tentar ser “como Deus” numa forma competitiva e por seu próprio esforço (Isaías 14:14). Receio que a motivação de Eva tenha sido similar. A verdade era que comendo do fruto da “árvore do conhecimento do bem e do mal” não tornaria Eva como Deus”. Comer daquele fruto foi desobediência; foi pecado. Deus é justo, e alguém não se torna como Ele pecando. Ela foi enganada, completamente enganada, como Paulo mostra em 1 Timóteo 2:14.

Porém foi errado Eva querer ser sábia? Certamente não pode ser mal desejar ser sábio, pode ser? Quando “conhecimento” é o conhecimento do mal, então a ignorância é verdadeiramente felicidade. Porém Deus quer manter Adão e Eva ignorantes? Deus proibiu deles se tornarem sábios? De jeito nenhum! Deus queria que Adão e Eva fossem sábios quanto o que é bom e ignorantes do que é mal:

19 - Quanto à vossa obediência, é ela conhecida de todos. Comprazo-me, pois, em vós; e quero que sejais sábios no bem, mas simples no mal. (Romanos 16:19)

A “sabedoria” de Satanás foi um conhecimento do “bem” e do “mal”. E no conhecimento do mal Adão e Eva tornaram-se alienados do prazer do “bom”.

Adão e Eva tiveram toda oportunidade e encorajamento de Deus para conhecê-lo, ser como Ele, e ser sábio em relação a tudo que é bom. Vamos anotar algumas das formas que Deus fez isto possível. Primeiro, eles poderiam ser sábios em relação ao bom tornando-se estudantes da criação:

24 - Ó SENHOR, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas. 25 - Assim é este mar grande e muito espaçoso, onde há seres sem número, animais pequenos e grandes. 26 - Ali andam os navios; e o leviatã que formaste para nele folgar. (Salmos 104:24-26)

5 - Aquele que por entendimento fez os céus; porque a sua benignidade dura para sempre. (Salmos 136:5)

19 - O SENHOR, com sabedoria fundou a terra; com entendimento preparou os céus. 20 - Pelo seu conhecimento se fenderam os abismos, e as nuvens destilam o orvalho. (Provérbios 3:19-20)

22 - O SENHOR me possuiu no princípio de seus caminhos, desde então, e antes de suas obras. 23 - Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do começo da terra. 24 - Quando ainda não havia abismos, fui gerada, quando ainda não havia fontes carregadas de águas. 25 - Antes que os montes se houvessem assentado, antes dos outeiros, eu fui gerada. 26 - Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem o princípio do pó do mundo. 27 - Quando ele preparava os céus, aí estava eu, quando traçava o horizonte sobre a face do abismo; 28 - Quando firmava as nuvens acima, quando fortificava as fontes do abismo, 29 - Quando fixava ao mar o seu termo, para que as águas não traspassassem o seu mando, quando compunha os fundamentos da terra. 30 - Então eu estava com ele, e era seu arquiteto; era cada dia as suas delícias, alegrando-me perante ele em todo o tempo; 31 - Regozijando-me no seu mundo habitável e enchendo-me de prazer com os filhos dos homens. (Provérbios 8:22-31)

12 - Ele fez a terra com o seu poder; ele estabeleceu o mundo com a sua sabedoria, e com a sua inteligência estendeu os céus. (Jeremias 10:12)

15 - Ele fez a terra com o seu poder, e ordenou o mundo com a sua sabedoria, e estendeu os céus com o seu entendimento. 16 - Fazendo ele ouvir a sua voz, grande estrondo de águas há nos céus, e faz subir os vapores desde o fim da terra; faz os relâmpagos com a chuva, e tira o vento dos seus tesouros, (Jeremias 51:15)

Adão e Eva queriam ser sábios? Então deixe estudarem a criação da qual eles eram uma parte. Eles queriam saber o “bem”? Então deixe saberem em Sua criação:

24 - E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. 25 - E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom. (Gênesis 1:24-25)

Adão e Eva desejavam conhecer o “bem” e tornar-se sábios, como Deus? Então deixem eles tomarem cada benefício que Deus deu para eles ao estarem com Ele em doce comunhão e companhia. Deus diariamente andava no jardim com Adão e sua esposa (Gênesis 3:8). E no momento que eles pecaram ao desobedecê-Lo, eles tentaram evitar serem vistos em Sua presença. Quanto eles poderiam aprender com Ele e através Dele.

Adão e Eva queriam tornar-se sábios e entendidos? Então deixem eles obedecerem Deus:

6 - Guardai-os pois, e cumpri-os, porque isso será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos, que ouvirão todos estes estatutos, e dirão: Este grande povo é nação sábia e entendida. (Deuteronômio 4:6)

10 - O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor permanece para sempre. (Salmos 111:10)

Satanás enganou Eva em acreditar que a desobediência seria o caminho para a sabedoria quando o oposto era, e ainda é, verdade. Sabedoria não é a causa da obediência tanto quanto o resultado da obediência. Nós obedecemos a Deus não porque somos sábios suficientes para fazer assim, porém porque confiamos em Deus e Sua sabedoria a qual é revelada em Seus mandamentos. Ao desobedecer a Deus, Adão e Eva evidenciam sua desconfiança em Deus e em Sua infinita sabedoria.

Finalmente, Adão e Eva poderiam ter se tornados sábios ao comerem o fruto daquela outra árvore, tão proeminentemente colocada, talvez ainda mais proeminentemente colocada, no centro do jardim – a árvore da vida. Nosso entendimento de Gênesis 3 é grandemente aumentado pela consideração de Provérbios 3.

1 - FILHO meu, não te esqueças da minha lei, e o teu coração guarde os meus mandamentos.  2 - Porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz. 3 - Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração. 4 - E acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e do homem. 5 - Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. 6 - Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. 7 - Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal. 8 - Isto será saúde para o teu âmago, e medula para os teus ossos. 9 - Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; 10 - E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares. 11 - Filho meu, não rejeites a correção do SENHOR, nem te enojes da sua repreensão. 12 - Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem. 13 - Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; 14 - Porque é melhor a sua mercadoria do que artigos de prata, e maior o seu lucro que o ouro mais fino. 15 - Mais preciosa é do que os rubis, e tudo o que mais possas desejar não se pode comparar a ela. 16 - Vida longa de dias está na sua mão direita; e na esquerda, riquezas e honra. 17 - Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas de paz. 18 - É árvore de vida para os que dela tomam, e são bem-aventurados todos os que a retêm. 19 - O SENHOR, com sabedoria fundou a terra; com entendimento preparou os céus. 20 - Pelo seu conhecimento se fenderam os abismos, e as nuvens destilam o orvalho. (Provérbios 3:1-20)

No estudo rápido deste texto, várias verdades são auto evidentes e servem como um comentário muito útil em Gênesis 3 e a queda do homem. Primeiro, somos estimulados a desejar a sabedoria como algo de mais alto valor (ver versículos 13-18).

Sabedoria divina é para ser grandemente desejada. Satanás mudou o desejo da Eva na direção oposta – para aquela a qual a levaria da sabedoria para insensatez – da vida para a morte.

Segundo, vemos que a sabedoria divina é evidente na criação (versículos 19-20). Adão e Eva tinham toda a criação diante deles para ensiná-los a sabedoria de Deus. Deus não estava retendo Sua sabedoria deles, mas mostrando-a diante deles.

Terceiro, sabedoria não impede a disciplina, porém a reconhece como uma evidência do amor de Deus (versículos 11-12). Eva foi levada a acreditar exatamente ao contrário. Satanás sugeriu que Deus reteve o fruto proibido porque Ele era egoísta e sem amor.

Quarto, sabedoria é o resultado da obediência (versículos 1- 2). Satanás convenceu Eva que a sabedoria resultaria da sua desobediência.

Quinto, para ter a verdadeira sabedoria, devemos parar de confiar em nós mesmos e em nossa avaliação do que é “bom” e sim confiarmos na sabedoria de Deus e nos Seus mandamentos.

Sexto, devemos ver que sabedoria é uma “árvore de vida” (versículos 2, 18). Não penso que esta imagem de uma “árvore de vida” é aleatória. Comer da “árvore da vida” era o caminho para a sabedoria, e foi por isto que Satanás procurou mudar o foco da atenção da Eva e o desejo desta árvore para a árvore proibida.

A queda de Adão e Eva pode parecer um evento distante, desconexo da história antiga, porém não se engane por esta falsa percepção. Temos muito a aprender com a Eva e muito a aplicar em nossas próprias vidas diárias. Como Paulo advertiu devemos procurar ser sábios quanto ao que é bom e ignorantes quanto ao mal: “e quero que sejais sábios no bem, mas simples no mal”. (Romanos 16:19b). Devemos aprender a focar nossos desejos no que é bom e disciplinar aqueles desejos que nos leva à destruição:

6 - E estas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. (I Corintios 10:6)

11 - Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; (I Pedro 2:11)

1 - ASSIM como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! (Salmos 42:1)

1 - DEIXANDO, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, 2 - Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo; (I Pedro 2:1-2)

Os Cristãos hoje procuram ser sábios, porém frequentemente não é a sabedoria de Deus que eles procuram. Eles parecem ignorantes ao fato de que há uma falsa sabedoria a qual deve ser rejeitada.

13 - Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria. 14 - Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. 15 - Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. 16 - Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa. 17 - Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. 18 - Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz. (Tiago 3:13-18)

12 - Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo, e de modo particular convosco. (II Corintios 1:12)

23 - As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne. (Colossenses 2:23)

A sabedoria de Deus e a “sabedoria” dos homens não são a mesma, elas não são compatíveis. Na verdade, elas estão em oposição uma à outra.

18 - Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. 19 - Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. 20 - Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? 21 - Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. 22 - Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; 23 - Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. 24 - Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus. 25- Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. (I Corintios 1:18-25)

1 - E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. 2 - Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. 3 - E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. 4 - A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; 5 - Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. 6 - Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; 7 - Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; (I Corintios 2:1-7)

Algumas vezes ouvimos: “Toda verdade é verdade de Deus.” Num certo sentido, suponho que seja verdade. Porém a única “verdade” que conhecemos ser verdade é a “verdade” que está em Cristo, a verdade revelada na Palavra de Deus (João 17:17).

Todas as outras “verdades” são alegações da verdade as quais podem ou não serem verdades. Uma coisa que sabemos em relação a estas outras “verdades” é que elas não são verdades essenciais, pois Deus revelou para nós “tudo que é necessário para a vida e piedade” (2 Pedro 1:3-4)

Sabedoria verdadeira, a sabedoria que é uma “árvore de vida” , não vem de baixo, do homem; ela vem de cima, de Deus. Muitos Cristãos tentam se tornar sábios lendo fontes seculares (não que devamos evitar toda leitura secular, porém não deveríamos lê-las para nos tornarmos sábios).

E mesmo mais Cristãos estão lendo livros e textos escritos por “Cristãos entendidos”, que meramente escrevem pensamentos seculares batizados com terminologia religiosa. Vamos desejar a sabedoria de Deus como uma “árvore de vida”, e vamos procurá-la na Palavra de Deus e segui-la mantendo os Seus mandamentos. Não vamos persistir naquelas coisas as quais trouxeram a queda.

6 - Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. (Provérbios 2:6)

12 - Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e acho o conhecimento dos conselhos. 13 - O temor do SENHOR é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio. 14 - Meu é o conselho e a verdadeira sabedoria; eu sou o entendimento; minha é a fortaleza. 15 - Por mim reinam os reis e os príncipes decretam justiça. 16 - Por mim governam príncipes e nobres; sim, todos os juízes da terra. 17 - Eu amo aos que me amam, e os que cedo me buscarem, me acharão. 18 - Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça. 19 - Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado, e os meus ganhos mais do que a prata escolhida. 20 - Faço andar pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo. 21 - Para que faça herdar bens permanentes aos que me amam, e eu encha os seus tesouros. (Provérbios 8:12-21)

A Sabedoria de Deus em Cristo e Sua Igreja: Efésios 1 e 3

7 - Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, 8 - Que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; 9 - Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, 10 - De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra; (Efésios 1:7-10)

8 - A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo, 9 - E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; 10 - Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, 11 - Segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor, 12 - No qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele. 13 - Portanto, vos peço que não desfaleçais nas minhas tribulações por vós, que são a vossa glória. (Efésios 3:8-13)

A Sabedoria de Deus Revelada Através de Israel: Romanos 9-11

Deus prometeu à Abraão que nele, na sua semente, todas as nações da terra seriam abençoadas (Gênesis 12-1-3). Parece que isto aconteceria através da nação inteira, porém a história deixa claro que a nação não se submeteu a Deus e resistiria e se rebelaria persistentemente contra Deus. Não foi através da semente (plural) de Abraão que Deus trouxe a benção para o mundo, porém através da semente (singular) de Abraão – Jesus Cristo.

16 - Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo. (Gálatas 3:16)

E os “filhos de Abraão” não são a semente física de Abraão (veja Romanos 9:6-13), porém a semente espiritual de Abraão:

26 - Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. 27 - Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.28 - Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. 29 - E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa. (Gálatas 3:26-29; veja também Romanos 4).

Não foi através da obediência da nação de Israel que os Gentios vieram a receber as bênçãos da semente de Abraão; foi através da sua desobediência:

30 - Porque assim como vós também antigamente fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia pela desobediência deles, 31 - Assim também estes agora foram desobedientes, para também alcançarem misericórdia pela misericórdia a vós demonstrada. 32 - Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia. (Romanos 11:30-32)

Olhando para trás na salvação que Deus trouxe em Cristo, apesar da desobediência e mesmo por causa da desobediência de Israel, Paulo pôde somente permanecer em veneração à sabedoria de Deus em planejar e executá-la.

33 - Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! 34 - Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? 35 - Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? 36 - Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém. (Romanos 11:33-36)

A sabedoria de Deus excede a sabedoria do homem e até a imaginação do homem. Deus realiza o que Ele prometeu em formas que nunca poderíamos imaginar ou mesmo acreditar se nos fosse dito antecipadamente. A sabedoria de Deus é vista em Seu relacionamento com a nação de Israel.

Sabedoria de Deus Revelada em Cristo para a Igreja: Efésios 1

Paulo indica em Efésios 1 o eterno propósito de Deus de somar (resumir) todas as coisas em Cristo. No Velho Testamento, a vinda de Jesus Cristo como o Messias prometido foi progressivamente revelado em grande detalhe.

Isto começou com a promessa de salvação do pecado e a derrota de Satanás pela semente de Eva em Gênesis 3:15. Foi mais totalmente revelado no pacto Abrâmico (Gênesis 12:1-3) e Davídico (2 Samuel 7:14). Nos Salmos (por exemplo Salmos 22) e através dos profetas (por exemplo Isaías 52:13-53:12), mais e mais foi dito sobre o Messias até Miquéias

Deus prometeu trazer salvação e abençoar não somente os Judeus, mas também os Gentios. Ele prometeu um Messias que seria um homem, a semente de Eva e de Abraão e de Davi, porém também Aquele que era o divino Filho de Deus. Ele predisse a vinda de Cristo na qual Ele seria rejeitado e sofreria pelos pecados dos homens (Salmos 22; Isaías 52:13 - 53:12) e de uma vinda triunfal do Messias para por abaixo Seus inimigos (Salmos 2:7-9;110).

Estas promessas aparentemente contraditórias fizeram todo o assunto dos propósitos de Deus um mistério (veja, por exemplo, 1 Pedro 1:10-13). Porém com a primeira vinda de Cristo o mistério foi resolvido. E agora, como Paulo indica em Efésios 1, a questão veio à luz em Cristo. Tudo dos propósitos e das promessas de Deus culminaram em Cristo. E agora, ao invés de se admirar no mistério do passado, somos conquistados com a admiração na sabedoria de Deus que cumpriu tudo isto.

A Sabedoria de Deus está Sendo Revelada Através da Igreja: Efésios 3

O propósito eterno de Deus é revelar Sua sabedoria para os seres celestiais assim como para a Sua igreja. Deus ainda está cumprindo o Seu propósito, o qual culminará com a segunda vinda de Seu Filho e o estabelecimento do Seu reino na terra. Quando este propósito e programa completar, o total objetivo da sabedoria de Deus terá sido revelado, e esta sabedoria será revelada de tal forma que proverá o combustível para o louvor a Deus por toda a eternidade.

É de se admirar a base para cada criatura eterna (terrena ou celestial) louvar valha a pena ser estabelecida em milhares de anos? Não é de admirar que Deus esteja tomando o Seu tempo em revelar e completar Seu maravilhoso plano decretado no passado eterno, em cujo cumprimento revela Sua infinita sabedoria.

Ao pensar neste texto em Efésios 3, subitamente me ocorreu que Deus é como um impressionante escritor, produtor e diretor, embora eu não pressionaria a analogia tão longe. Na eternidade passada, o roteiro da história foi escrita, e não há nenhum revisor.

Seu plano eterno foi formulado em Sua bondade e sabedoria. Os israelitas e os santos do Velho Testamento foram os atores e executantes no passado, e os santos (para não mencionar todos os outros) são os executantes hoje. Mesmo o hóspede angelical, inclusive Satanás, está envolvido neste grande drama.

Cada ato é uma dispensação ou, para os não dispensacionalistas, um novo trabalho do plano de Deus.

Ato I começou com a criação das hostes angelicais e terminou com a queda de Satanás.

Ato II começou com a criação do mundo e da humanidade, começando com Adão e Eva.

Ato III começou com o chamado de Abraão.

Ato IV começou com o nascimento da nação de Israel no Êxodo.

Ato V começou com a primeira vinda de Cristo. O maior e ato final começa com a segunda vinda de Cristo.

O propósito deste drama lento é a demonstração da glória de Deus. Em Efésios 3, Paulo fala do propósito de Deus como Deus trabalhando no presente para mostrar Sua sabedoria através da igreja. Quando este ato ou capítulo for consumado, toda a criação inclusive as criaturas celestiais, terão toda a eternidade para se maravilhar com a Sua sabedoria e para louvá-Lo e glorificá-Lo.

Algumas vezes nos admiramos porque Deus leva tanto tempo para cumprir Suas promessas e responder nossas orações? É porque Seu drama é imensamente maior do que nós somos, e Ele escolheu levar milhares de anos para apresentá-lo para a audiência cósmica. Nos admiramos porque não podemos entender no momento exatamente o que Deus está fazendo, como Ele está usando as circunstâncias mais incomuns (inclusive o pecado e rebelião do homem, doença, morte, pesar) para alcançar Seus propósitos?

Deus deixa estes assuntos em mistério porque Ele está criando e sustentando o interesse da Sua audiência. Ele, o grande autor, produtor e diretor está criando o suspense apropriado para a grande conclusão do ato final. Ele ousa não nos informar porque então não seriamos provados fiéis no grau que nós somos. E também Ele ousa não nos informar porque isto dissiparia a intensa curiosidade e admiração que segura todo o céu em enlevada atenção (veja 1 Pedro 1:12; 1 Coríntios 11:10).

Algumas vezes nos admiramos porque Deus está nos colocando em teste numa forma aparentemente particular e pessoal, numa forma que ninguém parece saber a não ser nós? Nosso pensamento é errado. Há, como o escritor de Hebreus nos informa uma “grande nuvem de testemunhas” (Hebreus 12:1) olhando com atenção fixa mesmo neste momento.

Quando suportamos os testes e provas desta vida, sem saber assim como Jó, por exemplo, somos deixados com somente uma coisa na qual confiar – o próprio Deus. Quando a vida simplesmente não faz sentido, devemos olhar para Ele que é o Autor e o Consumador da nossa fé, para Ele que tem um grande plano cósmico, um plano para revelar a Sua glória e para cumprir o que é bom para o Seu povo. Devemos confiar Nele que é toda a sabedoria e que é também todo poderoso.

Que grande privilégio o nosso de sermos parte deste grande drama e ter uma parte em trazer louvor e glória para nosso onisciente Deus. Este assunto está muito bem considerado por A. W. Tozer:

“Com a bondade de Deus desejando nosso melhor bem estar, com a sabedoria de Deus planejando, e o poder de Deus para realizá-lo, o que nos falta? Certamente somos a mais favorecida de todas as criaturas”.4


1 A. W. Tozer, The Knowledge of the Holy (San Francisco: Harper and Row, Publishers, 1961), p. 66.

2 J. I. Packer, Knowing God, p. 80.

3 Em Gênesis 4:1, está escrito que Adão “conheceu” sua esposa. Isto fala não de um conhecimento intelectual, porém de um conhecimento pessoal, íntimo e experimental. Creio que “conhecendo” o bem e o mal é o conhecimento do mal o qual surge ao experimentá-lo.

4 A. W. Tozer, The Knowledge of the Holy (San Francisco: Harper and Row, Publishers, 1961), p. 70.

Related Topics: Character of God