MENU

Where the world comes to study the Bible

Trilha 1 (Track 1: Discipleship - Portuguese)

Related Media

Introduo Trilha 1

A vida Crist uma vida de discipulado. O chamado contemporneo para o discipulado freqüentemente exposto em termos de rigor e auto negao, e isto bem deveria ser assim. Afinal de contas, foi o prprio Mestre que disse, Se algum quer vir aps mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz, e siga-me (Lucas 9:23). O chamado para o discipulado, ento, envolve um chamado para se tomar um instrumento de morte, a cruz, e seguir o mestre at Jerusalm, aparentemente.

Mas ns tambm devemos notar que o Mestre falou sobre discipulado em outros termos tambm. Em muitas ocasies ele usou imagens rurais ou agrrias para retratar para as pessoas uma vida de discipulado. Na verdade, em Mateus 11:25-30 ele falou sobre o discipulado como um convite para descansar, tomar sobre ns o seu jugo e aprender dele.

A palavra discpulo vem da palavra Grega que significa aprender. Na verdade, o jeito que ela usada na Bblia indica que um discpulo Cristo algum que principalmente um aprendiz algum que estuda os ensinamentos de Jesus o Mestre e procura implement-los em sua vida. Um discpulo tambm algum que ajuda os outros a conhecer o Mestre e viver dos seus ensinamentos. Portanto, uma vez que o discipulado uma boa lente atravs da qual se pode visualizar toda a vida Crist obediente, ns decidimos comear esta trilha com um breve, porm importante artigo sobre este assunto.

O objetivo desta primeira trilha, ento, contribuir para o processo de discipulado de um novo crente, orientando-o nas doutrinas bsicas e nas idias da f Crist. Ns iremos ler artigos sobre discipulado, a importncia da Bblia, a trindade de Deus, Jesus Cristo, o Esprito Santo, o Homem e o Pecado, a Salvao, o crescimento Cristo, Satans, a igreja, e o final dos tempos. Deveria ser mencionado que os artigos usados para as vrias trilhas foram escolhidos do material j existente no website. Isto significa que poderemos usar o artigo 3 de uma srie em seis partes sobre orao como um de nossos artigos. Ns tentaremos indicar isto quando este for o caso de modo a que o leitor possa olhar a srie como um todo se ele assim desejar. Tambm, os artigos foram escritos por ao menos seis pessoas diferentes, o que fornece ao estudante uma boa variedade de perspectivas e estilos de escrita.

A forma de usar o material direta e fcil. Primeiro, leia o resumo do artigo e ento o prprio artigo. O resumo projetado para orient-lo na lio e no deveria ser pulado. Depois de ler a lio e pensar sobre ela, v em frente e responda as vrias questes associadas quele artigo. Isto pode ser feito em grupo ou sozinho.

Na maior parte das vezes, as questes so bem diretas, embora iro requerer algum pensamento. No fique preocupado se voc no puder responder toda questo. Algumas sero sobre contedo, algumas sintticas (compreenso), e outras aplicacionais. D o melhor de si e aprecie o material. A nossa orao que o Senhor use este material para encoraj-lo numa vida de discipulado e que voc, por sua vez, possa ministrar a outros, capacitando-os a viver uma vida obediente para o Senhor (Joo 14:21). Finalmente, quaisquer sugestes que voc tenha em como melhorar este material seriam grandemente apreciadas. Simplesmente as envie para comments.

A Misso:
Discipulado
Ser Um e Fazer Um

O Artigo: Chamado para o Discipulado: Um Convite para Descansar (Mt 11:28-30)

    Resumo

Este artigo um exame passo a passo de Mateus 11:28-30, enfatizando cada clusula maior e seu significado. O artigo divide esta passagem em quatro sees memorveis: O Convite, O Seguro e a Promessa, A Imposio, e Os Incentivos. Cada seo desenvolve o tema do convite generoso. A primeira seo enfatiza o aspecto do relacionamento pessoal do Cristianismo. Ou seja, o Cristianismo no uma religio morta, ou um conjunto de faas e no faas. Ele em primeiro lugar um relacionamento pessoal com Cristo: Vinde a mim, disse Jesus. A segunda seo enfatiza o descanso que Jesus promete. A terceira seo acentua a importncia da continuidade do discipulado no processo de se tomar o jugo de Cristo e aprender dele. A quarta seo explica o que significa se tomar o jugo de Cristo pela submisso ao seu gentil Senhorio em nossas vidas e experimentar o descanso que ele oferece. A vida Crist no uma luta para nos livrarmos de todos os jugos, mas ao invs disso ser controlado pelo correto!

    Perguntas e Respostas

    1. Descreva brevemente como Mateus 11:28-30 se relaciona com 11:20-27.

    2. Em vista de 11:27, o que o chamado Vinde a mim (11:28) um chamado para?

    3. Quais so alguns dos pesos desnecessrios que voc acha que estas pessoas carregavam? Quais so alguns dos seus? Como seria se voc os desse para Jesus?

    4. Qual a imagem usada em 11:29? Como ela se relaciona a ns hoje? Em outras palavras, como podemos tomar o jugo de Jesus sobre ns?

    5. Como Jesus se descreve em 11:29? Como isto se relaciona com o descanso da alma que ele prometeu?

Passagem para Memorizar: Mateus 11:28-30

Conhecendo, Acreditando, e Compartilhando o Evangelho

O Artigo: Segurana com Respeito ao Evangelho

    Resumo

O primeiro lugar no qual comear a se desenvolver como um discpulo de Cristo revisar, aprender, compreender, e ser capaz de compartilhar o evangelho. Esta a inteno especfica deste artigo, Segurana com Respeito ao Evangelho. Alm da introduo e da concluso, o artigo est dividido em cinco sees. A primeira lida com o plano de salvao de Deus. Preste bastante ateno em 1 Joo 5:11-12 porque voc vai freqüentemente ouvir estes versculos mencionados ou v-los citados. A segunda seo lida com nosso pecado e o fato que ele nos separa de Deus. Uma das mais freqüentes passagens citadas aqui Romanos 3:23. A terceira seo torna claro que as boas obras, embora nobres, no podem nos conseguir a salvao. Efsios 2:8-9 claramente ensina esta verdade. A quarta seo lida com a soluo imutvel de Deus para o problema de nosso pecado a morte de Cristo. Romanos 5:8 uma grande passagem a qual afirma o amor de Deus por ns e seu eterno plano atravs de Cristo. A quinta e ltima seo, porm de modo algum menos importante, lida com a sua resposta pessoal a oferta de Deus de perdo atravs de Cristo. Embora ns possamos fazer boas coisas, e certamente deveramos, elas no podem nos salvar. Apenas Deus pode nos salvar quando recebemos Cristo, ou seja, quando confiamos apenas nele (Joo 1:12; 3:16-18). Orando sinceramente a orao no final deste artigo um modo de expressar a sua confiana pessoal em Cristo.

    Questes

    1. De acordo com 1 Joo 5:11-12 existe alguma rea cinzenta no pensamento de Joo com relao a quem tem a vida eterna e quem no tem?

    2. O que a imagem do salrio comunica em Romanos 6:23?

    3. Qual o resultado do pecado? Fsico? Espiritual?

    4. Por que as boas obras no podem nos salvar? Por que a salvao tem que ser pela graa atravs da f?

    5. Resuma a mensagem: Como eu me torno um Cristo?

A Bblia:
Deus Falou e No Gaguejou

O Artigo: A Adequao das Escrituras

    Resumo

A palavra de Deus capaz de nos sustentar mesmo nas mais difceis horas. Ela adequada para a tarefa de, atravs do poder e ministrio pessoal do Esprito, santificar o crente. O artigo, A Adequao das Escrituras, foi escrito desta perspectiva. Ele foca nos vrios aspectos de 2 Timteo 3:16. Primeiro, importante notar que este versculo diz que toda Escritura, no apenas alguma parte inspirada. Segundo, o artigo toca brevemente no processo da inspirao das Escrituras, embora este no seja o ponto principal desta passagem. Terceiro, ele lida com o processo de crescimento descrito no versculo, a saber, ensino, repreenso, correo, e instruo em justia. O ponto forte desta passagem a adequao da Bblia para uma vida de santidade e proveito para o Senhor.

    Questes

    1. Qual a significncia da palavra toda? Leia Romanos 15:4.

    2. O Cristianismo uma f que envolve profundamente a pessoa toda, incluindo suas emoes. Mas, se em alguma questo voc tivesse que escolher entre o que as suas emoes esto lhe falando, e o que a Bblia est lhe falando, qual voc escolheria? Por que? Pense sobre a natureza da Bblia como inspirada por Deus. D um exemplo de uma escolha.

    3. Ns vivemos em uma poca na qual a doutrina est sendo crescentemente silenciada.. Como este versculo fala a esta questo? Paulo diz que a palavra inspirada de Deus til para o ensino da doutrina, ou seja, para o que acreditar como Cristos e como viver em vista desta crena.

    4. Muitas pessoas hoje em dia buscam a Nova Era, um Cristianismo sem o uso da razo, onde uma experincia imediata e gratificao esto na ordem do dia, e no uma cooperao fiel com o Esprito para se conseguir duramente um carter pessoal e justia. Como o termo instruo em 2 Timteo 3:16 fala a esta questo? O que o termo instruo traz a mente e o que isto fala sobre a autntica vida Crist? Em uma vida Crist equilibrada aonde colocada a responsabilidade pelo crescimento? Cuidadosamente leia Filipenses 2:12-13.

    5. Qual o objetivo da obedincia s Escrituras e a instruo em justia? Leia 2 Timteo 3:17.

O Artigo: Por Que Tantas Verses?

    Resumo

Este um artigo extremamente til com relao a porque existem tantas tradues da Bblia no mercado hoje e como escolher a(s) melhor(es)? O artigo est dividido em cinco sees: (1) Por que tantas verses? (2) o texto de tradues modernas; (3) Deissman e os papiros; (4) equivalncia dinmica e equivalncia formal, e (5) qual traduo a melhor? Deixe-me resumir brevemente cada seo.

A primeira seo sugere trs razes do porque existem tantas tradues disponveis hoje: (1) o trabalho textual crtico de Westcott e Hort; (2) o descobrimento de papiros no Egito, e (3) desenvolvimentos na filosofia ou teoria da traduo. A segunda seo argumenta que o texto das tradues modernas baseado nos manuscritos mais velhos e melhores, enquanto a traduo King James (verso inglesa antiga) foi no final das contas baseada em uma meia dzia mais ou menos de manuscritos (mss) usados pelo humanista Alemo Erasmus. Enquanto houveram debates acalorados sobre estas questes, a pessoa sbia exercita amor e pacincia com todos os homens. Ela percebe que nenhuma grande doutrina afetada por qualquer variante textual. Terceiro, as descobertas de papiros por Deismann nos ajudaram a compreender que o NT foi escrito na linguagem do homem comum e que ns tambm deveramos insistir que nossas tradues fossem fiis ao texto Grego, mas expressadas na linguagem de hoje. Os papiros tambm nos ajudaram a compreender o vocabulrio do NT melhor de modo a sermos capazes de aperfeioar naquilo que os tradutores da verso King James (KJV) apenas podiam supor. A quarta seo lida com os prs e contras da traduo dinmica (frase por frase) em oposio traduo formal (palavra por palavra). Voc pode se surpreender em ver o que se pode aprender! A quinta e ltima seo lida com tradues atuais e faz uma breve avaliao de cada uma. No final, no existe uma traduo melhor, por si mesma. Enquanto uma pessoa pode ler uma Bblia mais freqüentemente que outras, ela ir querer ter umas poucas tradues para estudar.

    Questes

    1. Como Westcott a Hort afetaram as tradues Bblicas? Para mais informao sobre B.F. Westcott e F.J.A. Hort veja Evangelical Dictionary of Theology, ed. Walter A. Elwell (Grand Rapids: Baker, 1984), 1167.

    2. Como o que voc aprendeu sobre a traduo da Bblia afetou a sua compreenso da mesma?

    3. Como voc iria responder a algum que diz, Bem, as tradues modernas omitem grandes pores da Bblia? O que voc diria para uma pessoa que declara que a KJV a nica Bblia autorizada? Baseado no que voc leu no artigo, voc poderia responder, Qual das KJV voc quer dizer? Como ento?

    4. Quais so alguns dos pontos fortes e fracos das teorias de traduo dinmica e formal?

    5. Por que voc iria querer ler trs ou quatro tradues quando estiver estudando seriamente?

    6. O que a aprendizagem sobre as tradues da Bblia e o envolvimento dos homens lhe ensina sobre a soberania de Deus?

Passagem para Memorizar: 2 Timteo 3:16-17

O Deus Trino e Uno: Quem Ele?

O Artigo: A Trindade (Trs em Um) de Deus

    Resumo

O termo trindade no encontrado nas Escrituras. Mas o conceito, embora difcil para mentes finitas, . E exatamente por isso que a igreja antiga acreditava na trindade, embora a doutrina estivesse apenas implicitamente desenvolvida. A sua completa exposio sistemtica cresceu como resultado da influncia hertica dos Gnsticos e outros grupos que de um jeito ou de outro negavam a unicidade e a trindade de Deus.

A chave para definir a trindade compreender os termos pessoa e essncia. Deus um em essncia, porm ele subsiste em trs pessoas distintas. Existe unidade na diversidade, igualdade entre as diversas pessoas, e diversidade nas operaes das trs pessoas da Divindade. Tri-tesmo (trs deuses distintos) um erro a ser evitado ao se pensar sobre a trindade. Assim tambm o modalismo (uma pessoa da Divindade que aparecia de modos diferentes) e o Arianismo, o qual nega a divindade de Cristo.

Este artigo tambm prossegue lidando com a evidncia Bblica para a unicidade e trindade de Deus, assim como passagens que parecem sugerir que a trindade no uma doutrina Bblica. Ele tambm discute as ramificaes prticas da verdade da trindade e a dificuldade que temos como seres humanos finitos (e tambm decados) para compreender o que parece ser uma doutrina contraditria. Mas, afinal de contas, a doutrina da trindade realmente contraditria?

    Questes

    1. No estudo da trindade, o que significa pessoa e essncia?

    2. Como voc definiria a doutrina da trindade em uma nica frase?

    3. Quais so algumas heresias que cresceram na igreja antiga e como elas diferiam da doutrina Crist da trindade?

    4. Quais so alguns dos maus entendidos comuns de hoje a serem evitados quando se pensa sobre esta doutrina?

    5. Quais so alguns dos resultados prticos que surgem da verdade da trindade?

    6. Nomeie trs passagens no NT que so difceis de reconciliar com a idia da trindade? Como voc interpreta cada uma?

Passagem para Memorizar: Use Vrias Passagens no Artigo

Jesus:
Deus Permanentemente Revestido da Humanidade

O Artigo: A Singularidade de Jesus Cristo

    Resumo

O mundo no capaz de apreciar a real grandeza de Jesus Cristo. Isto se deve ao fato de que eles no so capazes de compreender a sua singularidade. Neste artigo, o autor discute brevemente a singularidade do Cristianismo entre as religies do mundo assim como a singularidade de Cristo para o Cristianismo e a histria do mundo. Jesus foi predito no Velho Testamento, nasceu de um modo nico, a sua pessoa nica (tanto Deus como homem), ele viveu um estilo de vida nico, foi morto de um jeito nico (i.e., de acordo com profecias antigas), e a sua ressurreio foi nica. Nunca existiu, nem jamais existir, um outro Jesus. S existe um ... e ele vive e reina hoje.

    Questes

    1. Quo importante a descrio Bblica da pessoa de Jesus Cristo para o Cristianismo? O que aconteceria ao Cristianismo se ns mudssemos ela?

    2. A singularidade de Jesus implica que durante o seu ministrio terreno ele era to diferente que ningum podia compreend-lo?

    3. O que Jesus significa para voc?

Passagem para Memorizar: Joo 1:1, 14

O Esprito Santo: Deus Conosco

No existe pouca confuso nestes dias sobre a pessoa e a obra do Esprito Santo. As pessoas esto fazendo todo o tipo de declarao: algumas verdadeiras e boas, algumas herticas, e outras completamente ridculas. Existem inmeros fatores que levam a tais idias, incluindo uma interpretao pobre sobre um genuno movimento do Esprito, assim como o problema doutrinal do grande divrcio entre uma compreenso Bblica da criao e a sua contraparte, a redeno. Este divrcio atormenta o evangelismo assim como um cobertor molhado numa noite fria.

Portanto, uma vez que uma compreenso apropriada do Esprito to necessria, ns decidimos sugerir dois artigos associados sobre este assunto. Voc ir querer estudar estes artigos muito bem, levando tempo suficiente para digerir o material. Estes artigos so parte de uma srie chamada, ABCs para o Crescimento Cristo. Em particular, eles so parte da segunda seo desta srie chamada, A Vida Transformada.

O Artigo: A Vida Repleta do Esprito (Parte 1)

    Resumo

Este artigo discute a personalidade do Esprito como evidenciada em inmeras passagens das Escrituras com respeito ao fato que ele possui uma mente, emoes, e vontade. Ele tambm executa aes consistentes com uma personalidade genuna e completa aes tais como conduzir, ensinar, e convencer. Ele tambm recebe atribuies devidas apenas a uma pessoa, i.e., ele pode ser obedecido, entristecido, blasfemado, insultado ou pode se mentir para ele. Como uma pessoa genuna, ento, ele deve ser honrado(distinguido) pelo seu poder. Ele no uma coisa, alguma fora sem opinio(sem mente), por assim dizer, como certas pessoas gostariam que acreditssemos.

Mas o Esprito tambm completamente divino, possuindo todos os atributos da divindade na sua infinita perfeio. Os seus atributos de onipresena, oniscincia, onipotncia provam que ele divino, junto com os ttulos que lhe so dados, incluindo Deus. O seu trabalho de criao, redeno, e sustentao de tudo demonstra a sua divindade. Aqueles que crem precisam compreender estas verdades, junto com o fato de que o seu advento em Pentecostes inaugurou a to esperada era do Esprito. Estamos agora vivendo em uma era onde o Esprito ocupou como residncia permanente o corao daquele que cr. O seu propsito principal revelar Cristo para ns e nos manter seguros do inimigo at o dia de nossa glorificao.

    Questes

    1. Antes de voc ler esta lio, qual era a sua compreenso da personalidade do Esprito? Como esta lio mudou a sua viso?

    2. De acordo com Efsios 4:29-30 como podemos entristecer o Esprito? Quais so alguns outros pecados que cometemos contra o Esprito Santo?

    3. Qual o papel principal do Esprito na sua vida? Que outras funes ele executa?

    4. Como a era atual da igreja, na qual o Esprito habita em todos os que crem permanentemente, diferente das eras passadas descritas no Velho Testamento?

    5. Em que base foi dado o Esprito para voc e como esta fundao imutvel?

O Artigo: A Vida Repleta do Esprito (Parte 2)

    Resumo

O artigo, A Vida Repleta do Esprito (Parte 2), continua aonde o primeiro artigo encerrou. Ele discute as importantes distines entre habitar e preencher de modo ao crente no ser confundido com estas importantes questes. Uma confuso neste assunto pode resultar em depresso e desencorajamento uma vez que uma pessoa pode no estar certa se ela possui o Esprito ou no. Mas se voc confiou em Cristo apenas, voc possui o Esprito! A questo real no , Eu possuo o Esprito? mas sim Eu compreendo algumas coisas bsicas sobre como ele trabalha na minha vida?

Este artigo d muita nfase sobre porque importante andar com e estar cheio do Esprito e as inevitveis conseqüncias de no se viver assim. Por isso, importante que se aprenda como estar cheio e como se andar pelo Esprito. Embora a Bblia no d nenhuma frmula pronta, por si mesma, existem mais do que suficientes informaes nas Escrituras para determinar o que se geralmente quer dizer por estes dois comandos. Este artigo projetado para especificamente explorar esta questo.

    Questes

    1. O que significa estar cheio com o Esprito Santo?

    2. Quais so algumas diferenas entre o habitar e o encher do Esprito?

    3. Qual a diferena entre andar pelo Esprito e estar cheio do Esprito?

    4. Explique por que vital para a vida Crist andar pelo e estar cheio do Esprito.

    5. Explique como ser preenchido pelo Esprito Santo. Como isto similar ou diferente do que voc ouviu antes? Por que voc pensa que a Bblia no d nenhuma frmula pronta, apenas dicas nesta questo?

Passagem para Memorizar: Joo 16:13-14

O Homem e o Pecado: Quem Somos?
O Que Aconteceu? Qual o Nosso Destino?

O Artigo: O Significado do Homem: A Sua Responsabilidade e o Seu Deleite (Genesis 1:26-31; 2:4-25)

    Resumo

Ns vivemos em uma era onde os avanos tecnolgicos ultrapassaram bastante a nossa tica; temos muito poder, mas nenhum critrio ou ponto de referncia claro para nos ajudar no uso de tal poder. Uma das razes pela qual nos falta a base moral porque abandonamos o fundamento doutrinal da criao e quem ns somos perante um criador santo e sbio. Neste artigo o autor busca explicar quem somos e de onde viemos de acordo com os primeiros captulos de Gnesis 1-2. aqui que recebemos respostas slidas ou consistentes para questes difceis. O texto de Gnesis no poderia ser mais contemporneo.

O homem foi criado imagem de Deus e por isso possui dignidade. Isto tem que ser entendido e abraado como uma viso mundial se quisermos captar a natureza horrvel do aborto, da eutansia, e um monte de outros pecados. Isto no significa que ns como Cristos condenamos aqueles que cometeram estes pecados, mas precisamos em amor afirmar o nosso lugar subordinado na criao de Deus e os perigos presentes que convidamos quando cortejamos tal autonomia.

Ao menos duas coisas fluem da nossa dignidade e do fato que somos criados imagem de Deus. Primeiro, ns somos capazes de realizar o trabalho que ele nos deu para fazer, embora depois da queda isto seja muito mais duro. Segundo, de acordo com nossa dignidade, Deus estabeleceu o paradigma para a sexualidade humana e a expresso da intimidade entre um homem e sua esposa. Este artigo ir explorar ambas estas questes em conexo com a nossa criao.

    Questes

    1. Explique por que necessria uma boa compreenso da teologia da criao para se pensar sobre as questes morais hoje? Geralmente falando, como a doutrina da evoluo natural tenderia a destruir os fundamentos morais slidos?

    2. O que a palavra dignidade significa em conexo com a criao do homem? Quais so algumas das implicao pelo jeito como tratamos as outras pessoas? Leia Tiago 3:9.

    3. Como voc v o seu trabalho de forma diferente como resultado do estudo de Gnesis 1-2?

    4. O que a ordem da criao lhe ensina sobre os respectivos papis do marido e da esposa no relacionamento conjugal? Pense bastante sobre o significado de imagem e como ela se relaciona com ambos o homem e a mulher.

    5. Resuma Gnesis 1-2 em suas prprias palavras.

O Artigo: A Queda do Homem (Gnesis 3:1-24)

    Resumo

Voc j considerou por que Deus foi to duro com Ado e Eva quando eles comeram a fruta a qual lhes foi ordenada que no comessem? No foi um pouco injusto ban-los (e ns tambm) do Jardim s porque eles fizeram algo que aparentemente seria apenas um pouco mais do que ser pegos com a mo no pote de biscoitos? A assim vem a zombaria do mundo. Mas um Deus soberano, santo, e misericordioso no avalia estas coisas de um jeito to leve e trivial.

Na verdade, a questo da desobedincia e do pecado do homem simples por um lado, e bastante profunda e de longo alcance por outro. Este artigo procura explicar algumas das mais importantes facetas de nosso pecado e nossa separao de Deus, focando em uma anlise verso a verso de Gnesis 3. O artigo ir lidar com a prpria tentao, em todas as suas sutilezas, assim como as conseqüncias para o homem, a sua esposa, e a Serpente. Voc ver que a ira de Deus tanto punitiva quanto teraputica; ele justamente pune o homem, mas sempre fornece um caminho para o homem retornar ele.

    Questes

    1. Compare e Contraste Gnesis 1-2 com o captulo 3-4.

    2. Como a Serpente se aproximou de Eva e porque ela foi to sedutora? Como ela faz isto conosco hoje (cf. 2Co 11:3)? Depois de estudar a seo sobre o Pecado do Homem voc pode acompanhar uma outra pessoa atravs de Gnesis 3 e explic-lo para ela? Vir um tempo em que voc ir precisar fazer isto por um outro Cristo lutando com questes semelhantes.

    3. Quais so algumas das conseqüncias do pecado de Ado e Eva? Como a narrativa (i.e., a histria) revela isto?

    4. Como Deus responde ao pecados deles? Qual a primeira pergunta que ele faz? Por que? Para benefcio de quem ele fez a pergunta?

    5. Qual foi a punio para cada uma das partes? Como isto revela a soberania de Deus (i.e., Ele aquele que est no controle), a sua ira, e ainda assim a sua graa tambm?

Passagem para Memorizar: Gnesis 1:26-27; Romanos 3:23

A Salvao:
Qual a Soluo?

O Artigo: Certeza da Salvao

    Resumo

A questo da certeza e da segurana com respeito a nossa salvao crucial para viver uma vida agradvel para Deus. Como uma pessoa pode viver para o Senhor se ela no tiver certeza que ele o seu Senhor? Como uma pessoa pode se relacionar com um Pai, se ela no tem realmente certeza que ele o seu Pai? Mas existe uma diferena entre a segurana do crente e a certeza que ele/ela tem daquela segurana. Este artigo projetado para investigar estas questes e ajudar ao novo crente a viver pela f, e no puramente pelos sentimentos.

Depois de olhar algumas razes importantes do porque falta certeza para certas pessoas, o artigo se aprofunda nos fundamentos da certeza: (1) o ensino claro das Escrituras; (2) a obra de Cristo, e (3) o testemunho do Esprito. Uma vez que este fundamento esteja posto, dois princpios importantes so discutidos para se desenvolver a vida assegurada. Finalmente, segue uma seo separada sobre o tribunal de Cristo, de modo ao novo crente no vir a pensar que uma vez que a sua salvao est segura ele pode viver como quiser. Cristo morreu por todos, para que os que vivem no vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou (2 Co 5:15).

    Questes

    1. O que voc entende por segurana? O que voc entende por certeza? Como estes so diferentes embora relacionados?

    2. Quais so algumas das razes pelas quais falta certeza s pessoas? Se voc lutou ou teve dificuldades com a certeza, por que voc pensa que isto foi assim? Como podem as lutas nos dar certeza e no diminu-la? Como a nossa luta nesta rea se relaciona com a obra de Satans (Efsios 6:12-18)?

    3. Quais so trs aspectos para uma fundao slida em termos da certeza da salvao para algum? Explique-os e como eles se relacionam entre eles.

    4. Quais so dois princpios chave para se desenvolver certeza e como eles devem ser aplicados?

    5. Como voc relaciona o tribunal de Cristo com a segurana e a certeza?

Passagem para Memorizar: Joo 5:24; 1 Joo 5:11-13

O Crescimento Cristo at a Glorificao:
Como Eu Amo Deus no Aqui e Agora?

O Artigo: A Vida Centrada em Cristo

    Resumo

O autor diz, Este estudo nos introduz ao conceito da verdade posicional. A verdade posicional tem a ver com quem somos em Cristo como crentes. Uma vez que ela tem a ver com quem somos em Cristo, ela tambm ir afetar o nosso auto conceito. O foco, entretanto, em quem ns somos no Salvador atravs da f Nele e como isto deveria influenciar as nossas vidas como crentes.

Primeiro, vamos examinar numerosas passagens bblicas que discutem o conceito de estar em Cristo. Em segundo lugar, iremos falar sobre o que isto significa em termos de quem, quando, onde, e como. Em terceiro lugar, iremos relatar conceitos chave sobre a verdade de se estar em Cristo. Estes conceitos incluiro o crescimento e mudana pessoal, a integridade de nossa posio em Cristo (nada pode ser adicionado a nossa posio para melhor-la seja como for), e imutabilidade e eternalidade (i.e., ela nunca ir mudar atravs de toda a eternidade) de nossa posio em Cristo. Em quarto lugar, iremos olhar para a verdade posicional de acordo com a riqueza do benefcio acumulado ao crente em termos da pessoa de Cristo e da sua obra. Em quinto lugar, o artigo ir concluir com uma breve discusso da obedincia luz do que Deus fez por ns e da nossa nova posio na graa.

    Questes

    1. O que a verdade posicional? Por que ns a chamamos posicional?

    2. O que o quem, quando, onde, como da verdade posicional?

    3. Quais so alguns dos conceitos chave relacionados doutrina do estar em Cristo.

    4. Quais so os vrios aspectos da riqueza que temos em Cristo?

    5. Como a obedincia se relaciona com a nossa posio em Cristo?

O Artigo: A Vida Devocional

    Resumo

Eugene Peterson diz em seu livro, A Long Obedience in the Same Direction(Uma Longa Obedincia na Mesma Direo), Todos esto com pressa. As pessoas que eu lidero na adorao, entre as quais eu aconselho, visito, oro, prego, e ensino, querem atalhos ... Elas esto impacientes por resultados ... A vida Crist no pode amadurecer em tais condies e desta maneira.1 No necessrio dizer, ento, que o conceito de uma vida devocional uma vida de orao e meditao que preenche os pensamentos tambm sofre neste clima. Todos ns precisamos ser lembrados que se aproximar de Deus no apenas um privilgio, o valor fundamental, bsico do evangelho e demonstra se ns realmente acreditamos nas boas novas ou no. Na verdade, o prprio corao de nossa existncia.

Este artigo foi projetado para ajud-lo a compreender a importncia da vida devocional como um aspecto necessrio e vital de se viver em comunho com Cristo. importante para o novo Cristo perceber que existe uma necessidade diria de se estar com Deus em sua palavra e orao, assim como a necessidade semanal de se associar(ter comunho) com outros Cristos. Mas no desenvolvimento destas disciplinas espirituais precisa existir uma compreenso do que constitui o equilbrio e a motivao apropriada. Este artigo ir enderear estas questes assim como outros perigos envolvidos em se viver fora de uma vida espiritual significativa.

    Questes

    1. Quais so as necessidades dirias e as semanais?

    2. Que aspecto da orao, da meditao, do estudo Bblico, da comunho, etc. a palavra disciplina captura? Em que sentido eles so disciplina e em que sentido no so?

    3. Como a graa de Deus se relaciona com as disciplinas da vida Crist?

    4. Quais so alguns perigos a serem evitados por se viver fora da disciplina espiritual?

    5. Que rea da vida espiritual a mais difcil para voc? Por que? Como este estudo lhe ajudou com esta fraqueza?

O Artigo: A Nutrio da Alma Primeiro

    Resumo

George Müller foi um grande homem de f. Ele enfatizou a meditao na Palavra e a orao atravs de sua vida Crist. Porm, ele aprendeu umas poucas coisas sobre comunho com o Senhor enquanto crescia. Embora ele gastasse tempo em orao como a primeira coisa a fazer depois de se vestir de manh, ele agora percebia que gastar tempo em meditao na Palavra era a primeira coisa que ele deveria fazer, e no a orao por si mesma. Como ele coloca, o seu corao foi ento confortado, encorajado, prevenido, reprovado, instrudo; e isto ento, por meio da Palavra de Deus, enquanto meditando nela ... trouxe uma experincia de comunho com o Senhor. A meditao na palavra teve uma forma de manter a sua mente no Senhor.

Mas Müller no se entregou a meditao para o ministrio pblico da Palavra, embora isto obviamente tenha influenciado o seu ministrio pblico. O seu objetivo principal, entretanto, em suas meditaes particulares, era a felicidade (i.e., contentamento e alegria) de sua prpria alma. Foi como resultado de suas meditaes na Palavra que ele foi inevitavelmente conduzido a orar por si mesmo e pelos outros. Tal processo de meditao primeiro, e ento orao, manteve a sua mente longe de vagar e capacitou-o a experimentar a beno e a presena de Deus mais profundamente. As devoes feitas pela manh, desta forma, o preparavam para enfrentar os desafios e tentaes que viriam pelo dia.

    Questes

    1. Qual a importncia da Palavra em nosso relacionamento com o Senhor, de acordo com Müller?

    2. Por que Müller sugere que a Palavra preceda a orao em nossas devoes dirias?

    3. Voc consegue pensar em algum padro na Bblia para se ter devoes dirias (cf. Marcos 1:35, etc.)?

    4. Por que importante ter comunho com o Senhor diariamente?

    5. Por que importante persistir em orao e no desistir depois de poucos minutos?

Passagem para Memorizar: Glatas 2:20

A Igreja:
Minha Nova Comunidade e Esfera de Servio!

O Artigo: A Igreja do Novo TestamentoO Seu Ministrio

    Resumo

Alguns mal entendidos so engraados. Alguns, porm, no tem graa e pediram conseqüncias como resultado da confuso. Tal o caso com a compreenso imprpria do ministrio da igreja. O artigo procura primeiro estabelecer o ponto, mal entendido em nossa cultura de igreja, que todos os Cristos devem ser envolvidos no ministrio, no apenas os pastores, professores, e evangelistas talentosos.

O ministrio no Novo Testamento pode ser definido como um servio benfico aos santos. Embora existam talvez trs ou mais termos Gregos usados para descrever ministrio, cada qual tendo pequenas nuanas diferentes, a idia bsica principal o servio, falando de um modo geral. A nica delimitao sobre o servio que ele caracterizado como benfico ao povo de Deus, a igreja.

Os dois princpios fundamentais que sustentam este conceito de ministrio no Novo Testamento o conceito de cada crente servindo em reas que beneficiam ao corpo so (1) a doutrina de dons espirituais (1 Co 12:4-7), e (2) a doutrina do sacerdcio de cada crente (1 Pedro 2:5-9). 1 Corntios 12:4-7 discute a diversidade na unidade que surge de cada um de ns possuindo dons diferentes e 1 Pedro 2:5-9, Romanos 12:1, Hebreus 13:15-16 enfatizando a natureza sacrificial do servio ao qual devemos nos render.

    Questes

    1. Como a sua igreja encara o ministrio?

    2. O que positivo sobre a viso da sua igreja e o que precisa ser repensado?

    3. Quais so os dois princpios fundamentais que ressaltam o envolvimento necessrio de todos os Cristos no servio?

    4. Qual o seu dom(s) espiritual e como voc poderia servir na sua igreja?

    5. Por que necessrio falar sobre os aspectos sacrificiais do ministrio? Como isto est conectado com o exemplo de Cristo?

Passagem para Memorizar: Romanos 12:4-5

Anjos:
Espritos Ministradores

O Artigo: Anjos, Espritos Ministradores de Deus

    Resumo

Este artigo foi projetado como uma considerao inicial desta grande rea de estudo uma rea que no tem promovido pouca discusso nestes dias. O autor ir discutir a verdade importante que os anjos so seres espirituais criados, capazes de serem respondidos por Deus. Nem todos os anjos, entretanto, mantiveram o seu status de santos e obedientes. Alguns se rebelaram.

Portanto, o artigo ir discutir sobre os anjos bons ou santos assim como sobre os maus ou cados. O ministrio dos anjos bons incluem papis tais como proteger o povo de Deus, cuidar deles, proclamar a verdade de Deus, e executar a punio ou castigo de Deus. Os anjos cados, por outro lado, incessantemente executam o papel do engano e oposio ao povo de Deus e aos planos de Deus. Obviamente, como meras criaturas, eles nunca, seriamente, colocam o plano de Deus em questo(dvida, controvrsia), mas Ele realmente permite que eles lancem confuso ou destruio algumas vezes de modo a fortalecer a nossa f e realizar os seus propsitos no mundo. O artigo conclui com alguns faas e no faas com respeito aos anjos. Na prxima seo ns iremos lidar com a questo da batalha espiritual e das foras da escurido ou do mal.

    Questes

    1. Qual a natureza dos anjos? Como isto afeta a forma como voc os v?

    2. Por que no deveramos rezar para os anjos?

    3. Qual o papel dos anjos em nossas vidas hoje?

    4. Qual a natureza dos anjos cados e qual o seu principal objetivo na vida?

    5. Os anjos cados trazem alguma ameaa real para Deus e seus planos? Por que ou por que no?

Passagem para Memorizar: Hebreus 1:13

Satans: Nosso Adversrio

O Artigo: A Guerra SantaUma Iniciao a Guerra Espiritual

    Resumo

Seja voc um novo crente ou um santo experiente, voc pode no perceber algo muito importante voc um soldado numa guerra em andamento. Existem duas foras opostas nesta guerra. Existem anjos cados que procuram corromper os santos, e frustrar os propsitos salvficos de Deus, e existem anjos santos que procuram executar a vontade de Deus. Ambas as foras so poderosas e a batalha ocorre no reino espiritual e no fsico, pois os anjos cados freqüentemente trabalham atravs de pessoas e os anjos santos freqüentemente procuram ajudar a igreja. Embora as batalhas sejam reais e a carnificina certas vezes devastadora, a vitria final, entretanto, de forma alguma deixada ao acaso. Deus o rei soberano no comando de todas as batalhas e aquele que projetou o resultado final. Ele ir vencer. Isto tudo ns sabemos com certeza!

Porm, existem freqüentemente mal-entendidos entre os Cristos quanto ao foco apropriado que ns deveramos manter luz desta verdade. A Guerra Santa Uma Iniciao a Guerra Espiritual procura clarificar algumas destas concepes erradas. Tem-se que aprender que esta batalha no final das contas do Senhor e que ns lutamos nos submetendo Deus em obedincia e tomando toda a armadura de Deus, incluindo a sua palavra em cada e todas as situaes.

    Questes

    1. Quais so as duas classes de anjos e como distingu-las?

    2. Quais so alguns dos conceitos errados sobre anjos cados?

    3. Quais so nossas armas?

    4. De acordo com o artigo, ns alguma vez deveramos tentar lidar com Satans diretamente? Voc concorda? Por que ou por que no?

    5. Como Judas 1,9 contribui para a questo 4?

O Artigo: Satanologia: Nosso Adversrio Invisvel, o Diabo

    Resumo

Este artigo comea por estabelecer o que voc j aprendeu at aqui Satans real e um pouco de estupidez negar a sua existncia e o seu trabalho. A partir deste fundamento bblico, o autor fala sobre a natureza de Satans, a sua personalidade, e certas designaes que lhe so dadas nas escrituras. O foco na natureza de Satans para apontar ou indicar que ele uma criatura com limitaes. Portanto, seja l o que for que queiramos dizer sobre o seu poder, ele infinitamente limitado comparado com o de Deus. No existe um ponto no qual eles sejam comparveis. As escrituras claramente indicam que ele tem personalidade e suas designaes enfatizam a natureza de seu trabalho rebelde, enganoso e cruel ou mau.

A ltima metade do artigo se concentra na histria de Satans como revelada na Bblia, as suas atividades, o sistema do mundo que ele governa com a permisso de Deus, e a defesa dos Cristos contra ele. Duas passagens principais sero examinadas em termos da histria de Satans, ou seja, Isaas 14:12-15 e Ezequiel 28:11-19. Estes textos, assim como outros, iro nos ajudar a compreender a sua posio original, a sua queda, o seu relacionamento com o caos e a runa da criao de Deus, assim como o seu decisivo fim no julgamento. Com relao s suas atividades, a discusso ir se centrar em volta de suas relaes com Cristo, com Deus, as naes, no crentes, e crentes. Finalmente, iremos olhar a tentativa de Satans de controlar um mundo em rebelio contra o seu Criador assim como as provises dos Cristos (em Cristo) para a vitria em meio a batalha em andamento.

    Questes

    1. Defina a natureza e a personalidade de Satans? Quais observaes das Escrituras demonstram que ele na verdade uma criatura e que ele tem personalidade? Como voc poderia usar isto para responder para a pessoa que diz que Satans apenas uma fora impessoal?

    2. Descreva a histria de Satans de acordo com as Escrituras. Quais so os problemas com a interpretao de Isaas 14:12-15 e Ezequiel 28:11-19? Como voc lida com eles?

    3. Quais so algumas das atividades de Satans?

    4. Qual o relacionamento de Satans com a presente ordem do mundo? Em qual sentido ele o deus desta era?

    5. Discuta o relacionamento dos Cristos com o Diabo e quais realidades espirituais Deus tornou disponvel de modo a nos capacitar a superar Satans e os seus demnios? O que voc pensa ser o papel do medo no plano de Satans (cf. Hebreus 2:14-15)?

Passagem para Memorizar: Efsios 6:12

O Fim:
Salvao, Julgamento, e Recompensas

O Artigo: A Doutrina das Recompensas

    Resumo

Existe confuso hoje com relao ao julgamento dos crentes e o que isto ir envolver. Este artigo procura clarificar as questes envolvidas pela discusso do significado do tribunal ou bema de Cristo, incluindo tais idias como o tempo, o lugar, os participantes, o juiz, e o propsito para o exame. A natureza das recompensas assim como uma breve discusso das coroas no NT ser oferecida.

    Questes

    1. Qual o significado do tribunal (Bema) de Cristo? Quais so algumas razes do porque esta doutrina foi mal compreendida?

    2. Qual a natureza do julgamento e quem ir participar?

    3. Quais so as trs vises diferentes do tribunal de Cristo? Como elas so diferentes? E similares?

    4. Qual delas o artigo discuti? Voc concorda? Por que? Por que no?

    5. O que a linguagem das coroas evoca? Descreva o ensinamento do NT sobre a idia das recompensas e o uso das coroas para descrever estas recompensas.

O Artigo: O que a Bblia Fala Sobre o Inferno

    Resumo

Este artigo uma breve anlise descrevendo vrios aspectos relacionados com o tpico do inferno. Ele comea por discutir alguns fatos sobre a eternidade, mais importante dos quais que todas as pessoas iro viver pela eternidade. Ento, o autor lista vrios fatos importantes sobre o inferno de algumas das mais importantes passagens. Depois, ele discute vises errneas do inferno assim como objees viso bblica do inferno. A ltima seo do artigo lida com os termos bblicos descrevendo o lugar dos mortos, o inferno, e o ps vida.

    Questes

    1. Resuma os ensinamentos da Bblia sobre o inferno.

    2. Declare e avalie certas vises errneas do inferno. Quais so os seus pontos fortes? Quais so os seus pontos fracos?

    3. Quais so algumas objees a viso bblica do inferno e por que elas so to atraentes? Se por acaso voc leu Trs Vises do Inferno (no requerido para este estudo), discuta alguns dos problemas com cada viso.

    4. Quais so alguns dos termos bblicos para se descrever o inferno e o ps vida?

    5. O que a doutrina do inferno lhe ensina sobre a justia de Deus e o pecado do homem?

Passagem para Memorizar: Joo 5:28-29


1 Eugene H. Peterson, A Long Obedience in the Same Direction, InterVarsity, Downers Grove, IL, 1980, pp. 11-12.

Related Topics: Discipleship